UM POUCO DE HISTÓRIA



50 anos de SITICOM
 

Carlos Guilherme Gosvin Kamke, hoje com 83 anos, foi sócio-fundador do nosso Siticom e presidente da Comissão Provisória da então-Associação dos Sindicatos de Trabalhadores, em 22 de novembro de 1958. A entidade foi efetivamente reconhecida pelo Ministério do Trabalho, como Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário de Jaraguá do Sul, em 12 de abril de 1962.

O senhor Carlos Kamke deixou o cargo ao senhor Alfredo Kamchen, em 17 de setembro de 1962. Hoje falecido, o senhor Alfredo presidiu a entidade até 21 de novembro de 1964.

Durante o período mais difícil da ditadura militar, de novembro de 1964 a 3 de abril de 1984, o Siticom foi presidido pelo senhor Ewaldo Alberto Petry,  O mandato do senhor Ewaldo Petry marcou a construção da sede do nosso Sindicato, inaugurada em 1973 e situada à Rua Epitácio Pessoa, 345, centro de Jaraguá do Sul, onde permanece até os dias de hoje. O prédio, em dois pavimentos, foi erguido em regime de mutirão pelos próprios trabalhadores, sob coordenação da Construtora Jaraguá.

O companheiro Clemente Mannes presidiu o Siticom a partir de 4 de abril de 1984  até o dia 9 de novembro de 1992, período marcado por intensa mobilização e organização dos trabalhadores, no país inteiro.

A luta por melhor salário, condições de trabalho e contra a exploração abusiva nas fábricas e obras levou o Sindicato a liderar três greves de trabalhadores, duas na década de 80 e a última em 1990. Neste período, o Siticom torna-se um dos primeiros Sindicatos de Trabalhadores a filiar-se à CUT (Central Única dos Trabalhadores), em Santa Catarina. Fundada em 28 de agosto de 1983, na cidade de São Bernardo do Campo (São Paulo), a CUT é a maior central sindical da América Latina e a quinta maior do mundo, somando 3.326 entidades Filiadas, quase 7 milhões e quinhentos mil trabalhadoras e trabalhadores associados, e mais de 22 milhões de trabalhadoras e trabalhadores na Base.

O companheiro Ingo Kaiser implantou um novo modelo de organização no Siticom nos anos em que presidiu a entidade, de 10 de novembro de 1992 a 28 de fevereiro de 1999. Simples, humilde, íntegro e combativo, o companheiro Ingo Kaiser visitava as obras e fábricas com absoluta espontaneidade, semeando o respeito e a admiração dos trabalhadores.

A companheira Helenice Vieira dos Santos, diretora vice-presidente, foi a primeira mulher a integrar a diretoria do Siticom.

A diretoria que tomau posse em dezembro de 2004, tendo à frente o companheiro Riolando Petry, dirige os destinos do Sindicato desde 28 de fevereiro de 1999. Na questão salarial, as negociações com os patrões alcançaram índices acima da inflação, resgatando o poder de compra do piso salárial das trabalhadoras e trabalhadores. Na área de Segurança, o Sindicato foi o grande articulador na criação do Comitê Permanente Microrregional, formado por representantes do governo, trabalhador e patrões e que fiscaliza as condições de trabalho e meio ambiente na indústria da Construção, com o objetivo de defender a saúde dos trabalhadores. Em relação ao patrimônio, o prédio do Siticom passou por intensas reformas para melhor atender à categoria, hoje recebida no andar térreo da sede, com muito mais comodidade.

Com renovação significativa de seus integrantes, a chapa única “Na Construção de um Novo Sindicalismo” obteve os votos de 94,86% dos trabalhadores associados, nas eleições realizadas dia 28 de outubro de 2004, sendo releita para o segundo mandato consecutivo, e mantendo uma característica nas eleições promovidas desde a criação do Sindicato: não houve inscrição de chapa de oposição sindical. O novo mandato pretende fortalecer a recém-criada Fetracom (Federação dos Trabalhadores da Construção e do Mobiliário da CUT/SC), defender a proposta da CUT sobre a liberdade e autonomia sindical frente à reforma sindical, e lutar pelo resgate do valor do Salário Mínimo nacional, começando pela proposta pela CUT.